sábado, 6 de março de 2010

Autor Desconhecido

Não que queira falar de mal romantismo
Acho isso tudo uma besteira.
Desconfio de gente muito bondosa
                                                       [ por que não sou ]
Daqueles que te levam flores
                                                       [ que te causam alergia ]
E chocolate
                                                       [ que te engordam ]
Mas quero falar sobre os que
Bem ao contrário, partem para a atitude
Acho que, ou está junto ou não,
E isso não significa tratar bem
Fazendo todas as suas vontades
E concordando
Com todas as besteiras que você fala.
Se você é assim me desculpe
Caiu no meu conceito.
Somos feito de vontades
E para elas serem realizadas
São necessárias empolgações.
Somos de confusão
E você não entende a minha.
Somos de ilusão
E eu, desconfio de todos
                    [ Acho que por não confiar em mim mesmo ]
Enfim, somos assim
Eu de você
E você caiu no meu conceito.

P.S- Nunca acredite num poeta desesperado [ ou não ], eles costumam dizer o que se quer ouvir, o problema é que não dizem diretamente, por isso você lê várias vezes a poesia e tem sua própria interpretação.

Não sou poeta.

Autor Desconhecido.

[ Esse cara que mora aqui dentro e me sopra essas coisas nunca me diz seu nome ]

2 comentários:

Fernando disse...

Mas isso é o poeta suas contradições, seus amores, suas ilusões e acima de tudo sua visão de mundo.

bjos

já sabe quem é rsrsrs

Descobrindo Um Novo Ser Lunático disse...

kkkk, é isso mesmo, o poeta é alguém mto perigoso... rsrsrsrs

Bjssss