terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Meu Amor de Primeira Idade

Já não vejo mais idade
Para choramingar amores adolescentes,
Para morrer de ilusão,
Para correr tanto risco,
Se embrenhar numa paixão inconsequênte.
Não vejo idade, já voou.
Não existe mais a vontade
De se atirar do alto de uma ponte
Sem equipamentos de segurança
Matar e morrer por alguém.
Acho que amores vão e voltam,
Paixões marcam e fogem,
A perdição do olhar engana.
Os amores do início da idade são os verdadeiros,
O que vem depois é só vontade
Pesadamente disfarçada de amor.
Amor que tenho vontade de viver
Mas uma vontade verdadeira
Não aquela de segundos amores
Segundas paixões e segundos olhares
Aquele, simples e amplo,
Carinhoso e tímido da aurora do descobrimento.
Não sentirei mais isso tudo
Quer dizer, sentirei saudades
E nada mais.
Sinto o pesar dessas palavras,
Mas a realidade estampada é essa.
Meu amor de primeira idade.

Leticia Duns

4 comentários:

Fernando L. disse...

Estava pensando esses dias e cheguei a mesma conclusão, não possuo mais idade pra chorar amores adolescentes, tenho que pensar que o tempo não para e chorar não adianta mesmo, morrer por algu[ém passou de prova de amor à loucura.

bela poesia

bjos
Fernando

PS: quanto ao seu pedido, permissão concedida, ficarei feliz.

Descobrindo Um Novo Ser Lunático disse...

Isso é verdade, passou a ser pura sandíce !!! rsrsrsrs

Muito obrigado !!!

Ahhh e pode deixar, em breve postarei tua poesia para os amantes de tal !!!

Valeu

Abs, Le

Débora Cristina Vasconcelos disse...

Sensacional!!!

Tá escrevendo muito bem.
To orgulhosa de ti!

bjs

Descobrindo Um Novo Ser Lunático disse...

Nossa Dé Muito obrigada !!!

Toda Poesia para nós !!!

Beijossss