quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Relembrando

Ás vezes é preciso largar a vaidade
Largar os erros e medos
Falar e enfrentar
Deixar para depois os desatentos

É preciso deixar de ser fraco
De recair por besteira
De magoar com silêncio
De deixar sem palavras

É preciso sair de si e entrar noutro
Entender o que se passa do lado de lá da rua
Sentir as palavras por outro ouvido
Calar a insegurança e dar outro sentido.

Às vezes é preciso, para mudar
Para saber que somos pequenos
Que somos puramente sentimentais
E para relembrar que....

Vivemos da expectativa do outro. Sempre.

Leticia Duns

2 comentários:

Thiago Domingues disse...

O famoso exercício do olhar!
Belas considerações viu! Quase um poema didático!rs
\o/

Juliano Martinz disse...

É preciso coragem para mudar, ou covardia de se resignar. Como disse, a expectativa do outro. Quando vemos o mundo por outros olhos, vemos novas cores. Tudo está em constante mutação. E eu? e eu? e eu?

Como citas em teu blog: "As coisas nunca se repetem, somente as palavras"