terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Branco de Vida

Aquilo despertou apavoramento
Notar as linhas em branco da vida
Sem esboçar ao menos uma trilha
Cheia de folhas sem viço de outono
.
É isso, resumiu-se assim em coisa alguma
O vácuo branco da vida de carências
Das sensações que passaram no tufão
Na tempestade de sentimentos impotentes
.
Ficou como sempre ficará
A vontade de vociferar estalante
Assim como o sol de verão
Sem preocupações de quem o sentirá
.
Esse florescer é involuntário
Portanto essa primavera é melancólica
Colorida como pintura
Mas branca como a alma de espectro esquecido.
.
Leticia Duns

2 comentários:

Débora Cristina Vasconcelos disse...

Nossa Le, vc está escrevendo cada vez melhor. Parabéns, flor!

Bjs

Poemas e Reflexões disse...

Muito obrigada Dé !!! Fico feliz por ver que consigo passar a evolução que remexe dentro de mim !!! rsrsrsrs

Beijos Linda !!!