quarta-feira, 21 de julho de 2010

Aquela criança



Tirei inspiração das pessoas na rua
Suas atitudes, suas maneiras
Observei o modo de caminhar
De falar ao telefone, de correr para pegar o ônibus
No meio de tanta observação
Um sorriso ofuscou meu olhar
Aquela criança trazia consigo
O sonho de tudo melhorar
Num gesto simples quiz capturar sua esperança
E transpassar para mim
Somente consegui imobilizar
Este momento aqui
E lembro da aurora da minha meninice
Quando tive esperança
Mas tornei-me adulto incrédulo
Pois conheci a vida, corrompeu a magia
Que tinha como aquela criança.

Leticia Duns

3 comentários:

cepa disse...

Muito Bom!
Adorei esse novo poema, e retrata uma realidade que todos sofremos em partes. Pois ainda existe algumas almas desgaradas que ainda conservam um pouca da perdida "inocência" que sé quando crianças a temos!

aRTISTA e aRTEIRO - Rubem Leite disse...

A esperança de capturar a esperança.
E a certeza de reviver no momento a fé.

Diana Carla disse...

Le, nossa cheguei aqui tomei um susto meu blog não atualizou seus textos...perdi um tantão de coisa!

a esperança existente em uma criança é algo de mais lindo que possa existir, então mesmo adultos temos que ter umpouquinho de alma de criança para continuarmos vivendo!

bjinhus no coração!