sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

E o Amor Ainda Vive.


          Foi besteira pensar que se houvesse alguém para esquecer que seria você, foi distúrbio dizer que esquecer faz-se mais fácil quando se está longe pois distante é que se observa os detalhes antes despercebidos e a saudade aperta que até sufoca. É de drama que se faz um amor que se desfaz, e se desfaz fingindo desfazer... Grande enganador é esse amor... Enganador dos bons... Engana-se a si mesmo para não sofrer de si e vendo-se sofrendo, se entrega às lágrimas que não trazem o que se quer, apenas sufocam um amor que quase sem ar vive... Mas ainda assim vive...

Leticia Duns

8 comentários:

Fernando disse...

O amor é traiçoeiro. Ele é malvado, mas quem não quer viver amor? Quem não quer amar? Quem não quer ser amado?

O amor às vezes compensa as dores que ele mesmo provoca.

Meu beijo!

aRTISTA e aRTEIRO - Rubem Leite disse...

Amei o texto, mas me atrevo a dar um pitaco. Que tal contá-lo não como lição, mas como ficção... Criado uma estória, um conto onde a personagem não nos conte isso, mas nos mostre...
Está me entendendo?

MAILSON FURTADO disse...

Muito bom o post!!!

Belo espaço!!!

Gostei pra caramba, voltarei mais vezes...

Convidaria vc a conhecer meu trabalho (poesia, teatro, poesia)

Ficaria Muito feliz!!

http://mailsonfurtado.com

Leticia Duns disse...

Rubem querido, entendo sim e acho muito boa idéia. Na verdade esse trecho é mesmo de um conto que enviarei para você por e mail porém, não consegui passar a mensagem que queria no conto, por isso, resolvi postar somente a parte poética do conto...

Espero sua importantíssima análise do conto para que eu possa aperfeiçoá-lo.

Muito obrigado amigo.

Beijos !

Leticia Duns disse...

Mailson, muito obrigado, fico feliz por ter gostado do espaço e da postagem, estarei pelo seu blog sempre também !

Abraço, Leticia Duns.

Bruno Batista disse...

Oi, Letícia! Belíssimo texto. Parabéns pelo blog. Bjs!

Débora Cristina Vasconcelos disse...

Flor tô com saudade de seus textos, escreve mais!!!

Beijos gelados da terra dos gnomos!



www.extremosdemim.blogspot.com

BETERRABA disse...

Letícia, me emocionei com seu texto, ao ler me brotou as lágrimas ... verdade em suas palavras "apenas sufocam um amor que quase sem ar vive".

Beijos