quarta-feira, 28 de abril de 2010

Momento- Fração do Arrependimento

Sabendo que por um momento
Deixei minha vida rolar sem cobranças
Ao sabor do novo e inconsequente
Deleitando do acaso e rindo da morte.

Sabendo que por vários minutos
Nem me importei com meu destino
E se meus atos o alteram
Apenas soltei-me e senti-me livre.

Sabendo que o que quero está longe
E o que necessito sempre está por perto
Traçei minhas metas e ignorei-as
Somente naquela pequena fração de tempo.

Foi sabendo que deixei me levar
Delicei de tudo que não se pode
Fiz tudo que não se deve
Mas foi apenas por um momento.

Momentos...
Ao longo dessa e de outras vidas...
Foram e serão vários os momentos...
Quem há de controlar?

Leticia Duns

2 comentários:

A. Reiffer disse...

Um poema introspectivo e filosófico. Excelente. Parabéns!

Débora Cristina Vasconcelos disse...

Lindo, lindo, lindo!!!!

Muito bom, queria soltar as rédeas assim e me deixar viver sem regras...amei esse poema, maravilhoso.

Beijinhos!!